domingo, 16 de dezembro de 2007

PM covardemente assassinado em Uruçuca

Por volta das 02h30min da madrugada deste domingo (16) durante a realização do show de uma banda na praça Regis Pacheco, no centro, quando das comemorações alusivas aos 55º aniversário da cidade.

Anderson Souza de Oliveira de 30 anos e que era soldado, pertencia aos quadros de policiais da Companhia de Ações Especiais da Região Cacaueira - CAERC e estava de folga no momento de seu assassinato.

O assassino foi o indivíduo de nome José Hilton dos Santos de Jesus, vulgo Piaba, 24 anos, residente na rua Alexandre Costa Neves, no centro de Uruçuca. Os motivos do homicídio foram fúteis, vez que o PM mesmo de folga comunicou envolvimento do assassino em diversas vias de fatos e desordem no local.

Piaba não ficando satisfeito por Anderson o ter identificado aos policiais de serviço, indo até a sua residência se armando com um revolver calibre .32, e disparando um tiro a queima-roupa no abdômen da indefesa vítima, após isto Piaba evadiu-se do local levando consigo a arma do crime.

O policial vitimado ainda chegou a ser socorrido pelos colegas até o Hospital Geral em Ilhéus, todavia veio a óbito durante a cirurgia da retirada do projétil. Seu corpo está sendo velado na sede do 2º Batalhão em Ilhéus e deverá se sepultado às 17h no cemitério do Pontal.

O assassino foi preso por volta das 11h45min horas desta manhã num matagal próximo a faz São Jorge pelo Tenente PM Erasmo Oscar Silva dos Santos, comandante do Pelotão, porém policiais da CAERC e do pelotão local ainda estão em diligências objetivando recuperar a arma que segundo o detido havia jogado numa mata próximo de onde fora preso.

4 comentários:

thiago disse...

é lamentevel esse aconteçimento

esse piaba tinha q ser esquartejado

pelos colegas do policial

pq naum existe isso

um bandido tirar a vida de um pai de

familia q estava de folga

mas agora ele vai pagar pelo

assasinato!!!!!!!!!!!!!

jobson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
saionara disse...

se fosse um pião ou seja será que o assassino estaria preso?

Aline disse...

Essa é uma resposta para Saionara: independente se Anderson era policial ou naõ a justiça deve ser feita para todos. Se fosse um parente seu teria o mesmo pensamento medíocre e mesquinho?